Frigorífico Fish Fácil "da genética ao sabor" | PESQUISADORES INTERNACIONAIS VISITAM SANTA ANA AQUACULTURA
18087
single,single-post,postid-18087,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,wpb-js-composer js-comp-ver-4.1.2,vc_responsive

PESQUISADORES INTERNACIONAIS VISITAM SANTA ANA AQUACULTURA

pesq

PESQUISADORES INTERNACIONAIS VISITAM SANTA ANA AQUACULTURA

11:48 26 maio in Notícias

Nos dias 18 e 19 de fevereiro, a Unesp (Universidade Estadual Paulista), campus de Jaboticabal, através do Caunesp (Centro de Aquicultura), realizou o Workshop Internacional Sobre Criação de Tilápias e outros Ciclídeos. O evento contou com a presença de especialistas globais, uma vez que ele faz parte do AquaFish CRSP, que é um programa de suporte de pesquisas mundiais sobre a cultura da tilápia e sus potencialidades. Estiveram presentes no campus da faculdade de Jaboticabal pesquisadores da África do Sul, Vietnã, Filipinas, China, México e Estados Unidos, que tiveram a oportunidade de debater a cultura da tilápia e também conhecer in loco experiência executadas no Brasil e que vem registrando significativo sucesso. O Caunesp é uma unidade complementar da Unesp que reúne docentes para gerar e difundir conhecimentos referentes à biologia, cultivo, economia e processamento de organismos aquáticos. Seus cursos de pós-graduação são referência nacional em áreas como aquicultura e funcionamento dos ecossistemas hídricos.</p>\r\n<p align=\”justify\”>O programa AquaFish CRSP, por sua vez, tem o suporte da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional e vem registrando experiências de sucesso envolvendo vários países produtores de peixes, como o México, Honduras, Quênia, Tailândia e Filipinas.Esse programa entrou agora em sua segunda etapa, sendo que nesta fase foram incluídas outras nações que apresentam rápido desenvolvimento da tilapicultura, como o Brasil, África do Sul, Gana e Vietnã.No programa AquaFish CRSP, visando o desenvolvimento da aquicultura sustentável, os pesquisadores líderes de cada país fazem visitas de até uma semana, em grupo, aos países participantes. Durante essas atividades eles conhecem as técnicas utilizadas, discutem as possibilidades de implantação de novas tecnologias e sistemas de produção, buscando, dessa forma, soluções para o desenvolvimento da atividade. Dentre os temas analisados no workshop realizado pela Unesp estiveram temas variados, como “O papel do Capítulo Latino Americano e Caribenho de Aqüicultura da WAS para o Desenvolvimento da Aqüicultura na América Latina e Caribe”, “A Cadeia de Produção da Tilapicultura no Brasil”, “A experiência brasileira no cultivo intensivo de tilápias em tanques-rede”, Avaliação de efluentes originados da tilapicultura e recomendações de boas práticas de manejo para o setor”, “Produção de tilápia como alternativa para comunidades rurais tradicionais – o exemplo dos quilombolas”, entre outros. Em campo — Após as atividades teóricas desenvolvidas no seminário, um grupo de pesquisadores e técnicos de vários países efetuou uma visita a campo em uma das principais áreas de desenvolvimento da cultura da tilápia do centro-oeste paulista, a Santa Ana Aquacultura, que além de efetuar a criação dessa espécie também conta com um frigorífico para a produção de filés. Estiveram presentes à visita, James Bowman, da Universidade do Oregon, Estados Unidos;Yang Yi, da Universidade de Xangai, China; Remedios Bolivar, da Universidade Central Luzon, das Filipinas; Walfrido Contreras, da Universidade Autônoma Juarez de Tabasco, México; Louresn De Wet, da Universidade de Stellenbosch, África do Sul; Nguyen Thanh Phuong, de Can Tho City, Vietnã; e Maria Célia Portella, da Unesp.Os participantes do workshop puderam conhecer o trabalho desenvolvido pela Santa Ana, a criação de tilápias com a utilização dos tanques rede, também conhecidos como gaiolas. Na propriedade existem cerca de 50 desses dispositivos, cuja implantação vem desde 2002. Assim, a empresa conta com um dos maiores know-hows do Brasil para esse tipo de produção.