Frigorífico Fish Fácil "da genética ao sabor" | REVISTA THEO CARVALHO SOBRE PISCICULTURA
2941
single,single-post,postid-2941,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,wpb-js-composer js-comp-ver-4.1.2,vc_responsive

REVISTA THEO CARVALHO SOBRE PISCICULTURA

REVISTA-THEO-CARVALHO-SOBRE-PISCICULTURA

REVISTA THEO CARVALHO SOBRE PISCICULTURA

13:47 07 outubro in Notícias

A piscicultura é a atividade zootécnica relacionada à criação de peixes tanto marinhos quanto de água doce. O Brasil é privilegiado em termos de área para cultivo de peixes possuindo um clima favorável e grandes reservatórios de água ainda inexplorados. Na região da amazônica chega-se a consumir quase 50 kilos de pescado/ ano/ habitante sendo comparado ao consumo do Japão, que é um dos maiores consumidores de peixes do planeta. No Brasil como um todo, esse consumo não ultrapassa 8 kilos/ ano/ habitantes sendo que a FAO recomenda um consumo acima de 15 kilos/ ano/ habitante.
Os estoques pesqueiros mundiais de extrativismo ou captura, ano apos anos se reduzem e já não conseguem suprir a demanda crescente do mercado, sendo a piscicultura a solução de complementação desse consumo. Em nossa região destaca-se o trabalho persistente de um empresário garcense que há dez anos apostou na piscicultura e hoje colhe os frutos do seu trabalho. Fernando Nagano Gomes Fernandes, proprietário das empresas Santa Ana Aquacultura e Frigorífico Fish Fácil, localizados na zona rural de Garça. Fernando é filho do juiz de direito Dr. Miguel Gomes Fernandes que por muitos anos trabalhou em Marilia.
O peixe de maior destaque no momento é a tilapia, uma espécie de fácil criação, alta rusticidade e excelente qualidade de sua carne desde que sejam adotadas medidas de controle e manejo durante a criação e processamento no frigorífico. A técnica de criação adotada pelas empresas é o sistema de tanque rede que caracteriza-se por criar os peixes em sistema de confinamento em estruturas teladas flutuantes. O peixe não tem contato com o fundo das represas e não se movimenta muito a procura de alimento, gerando assim um file mais espesso e macio. O peixe ingere somente ração balanceada durante o ciclo de criação por isso a qualidade da carne é assegurada não apresentando sabor desagradável ou o famoso gosto de barro, comenta o empresário.
A grande vantagem dessa modalidade de criação intensiva esta no fato de se poder utilizar uma represa já existente e que normalmente só é usada como reservatório de água para a propriedade. Não são necessárias mudanças radicais na estruturas existentes e não e necessário o esvaziamento do reservatório para a despesca dos peixes, uma vez que as estruturas dos tanques-rede são flutuantes e quando os peixes estão prontos e necessário somente içá-los para fora da água.

 

Outro ponto que merece atenção é o fato de se poder programar a despescas gradativamente, gerando assim uma renda mais distribuída ao longo do ano para o produtor; no sistema antigo em tanques escavados, quando os peixes ficavam prontos era necessário esvaziar todo o viveiro para a retirada total dos peixes, gerando dificuldades para o produtor tanto de manejo quanto de comercialização; já no tanque-rede, o povoamento e escalonado, podendo programar a produção.

Fernando comenta que em um hectare de espelho d´agua pode se produzir cerca de oito toneladas de tilapias por ciclo de criação com a instalação de 20 tanques- rede de seis metros cúbicos, e e possível em media produzir três safras a cada dois anos. A rentabilidade situa-se em torno de R$ 0,80 por quilo de peixe produzido e a durabilidade dos tanques-rede é de aproximadamente dez anos; o preço dos tanques-rede esta em torno de R$ 600,00 a unidade.
A empresa tem firmado diversas parceiras no estado, fornecendo os alevinos aos produtores e garantindo a compra da produção para processamento no frigorífico.